News

Arménia afirma que o Azerbaijão “concluiu” a limpeza étnica em Nagorno-Karabakh

O Azerbaijão “apagando” sistematicamente todos os vestígios de etnia armênia na região disputada, diz Yerevan.

O Azerbaijão “completou” a limpeza étnica de Nagorno-Karabakh, afirmou a Arménia ao tribunal superior da ONU.

Num caso movido por Yerevan contra o seu vizinho e rival Caucus por alegada discriminação e limpeza étnica, advogados da Arménia disseram na terça-feira ao Tribunal Internacional de Justiça (CIJ) que Baku está “apagando todos os vestígios da presença de arménios étnicos” no território contestado. .

“Depois de ameaçar fazê-lo durante anos, o Azerbaijão completou a limpeza étnica da região”, afirmou o representante da Arménia, Yeghishe Kirakosyan.

Os dois países caucasianos têm contestado o território de Nagorno-Karabakh durante as três décadas desde o colapso da União Soviética. Yerevan tem procurado chamar a atenção internacional para o enclave montanhoso desde que Baku assumiu o controlo numa operação militar em setembro.

O caso do TIJ, apresentado pela Arménia em 2021, acusa o Azerbaijão de glorificar o racismo e de permitir o discurso de ódio contra os arménios e de destruir locais culturais arménios.

A Arménia disse que isso colocou o Azerbaijão em violação de um tratado anti-discriminação da ONU. Baku negou todas as acusações contra ela.

O caso decorre de uma guerra em 2020 por Nagorno-Karabakh, que deixou mais de 6.600 mortos, um dos três conflitos em grande escala que os dois travaram sobre o assunto.

As forças armadas do Azerbaijão recapturaram a região montanhosa em Setembro, após anos de controlo étnico arménio, o que levou a maioria dos arménios étnicos a fugir para a Arménia.

Kirakosyan disse que Baku estava “agora consolidando [its control of Nagorno-Karabakh] apagando sistematicamente todos os vestígios da presença étnica arménia, incluindo a herança cultural e religiosa arménia”.

Ele disse aos juízes que Baku “tem caracterizado cada vez mais as reivindicações de direitos humanos da Arménia… como uma espécie de desafio à soberania ou integridade territorial do Azerbaijão”.

“O Azerbaijão está profundamente enganado. A Arménia não tem reivindicações sobre o território do Azerbaijão e também está empenhada em estabelecer condições para uma paz genuína e duradoura”, afirmou o advogado.

Má fé

Na segunda-feira, primeiro dia de audiências, o Azerbaijão disse ao tribunal que a maioria das queixas da Arménia não se enquadravam no âmbito do tratado da ONU.

Os advogados de Baku também acusaram a Arménia de não se envolver genuinamente nas negociações, um pré-requisito do tratado para levar o caso ao TIJ.

Kirakosyan rejeitou as alegações. “A Arménia negociou com o Azerbaijão de boa fé e prosseguiu as discussões muito além do ponto de utilidade”, afirmou.

Uma mulher de etnia armênia está sentada em um carro
Uma mulher de etnia armênia de Nagorno-Karabakh está sentada dentro de um velho carro de estilo soviético ao chegar em Goris, na região de Syunik, Armênia, em 27 de setembro [File: Vasily Krestyaninov/AP Photo]

Em Novembro, o tribunal emitiu medidas de emergência no caso, ordenando ao Azerbaijão que permitisse o regresso dos arménios étnicos que fugiram de Nagorno-Karabakh.

O Azerbaijão afirma que se comprometeu a garantir a segurança de todos os residentes, independentemente da origem nacional ou étnica, e que não forçou os arménios étnicos a abandonar Karabakh.

As audiências cobrirão apenas as objeções legais à jurisdição da CIJ e não abordarão o mérito das alegações de discriminação. Uma decisão final em ambos os casos poderá demorar anos e o TIJ não tem forma de fazer cumprir as suas decisões.

Source link

Related Articles

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Back to top button